Delícias de Santê: Camila Aganett, artesã da confeitaria - Santa Tereza Tem
Logo

Delícias de Santê: Camila Aganett, artesã da confeitaria

Delícias de Santê: Camila Aganett, artesã da confeitaria

Muitas vezes você se delicia com um docinho, uma fatia de bolo em uma festa e nem imagina que ele é preparado aqui pertinho, em Santa Tereza, no Ateliê DoceMilla, à Rua Conselheiro Barbosa. É que a Camila Aganett, além de atender os clientes particulares, fornece também para vários bifes de BH. Os produtos são delicados, bonitos e saborosos. Isso porque a relação de Camila com os doces é um caso de amor iniciado na infância, quando estava sempre ajudava a mãe e a avó na cozinha. E fazer bolos era seu passatempo preferido, principalmente o de cenoura com calda de chocolate. Mas entre o hobby e encarar  os doces e bolos como profissão passaram-se alguns anos. Ela conta que “comecei levar a sério aos 19 anos. Sempre fiz bolo bem, cresciam, ficavam fofinhos e gostosos, mas eu não sabia decorar. Então por um desvio do destino, quando meu sobrinho nasceu com uma doença rara, minha irmã deixou o emprego e fez um curso de decoração de bolos para trabalhar em casa. Eu fui atrás dela e começamos a trabalha juntas. No início, confeitávamos os bolos para os familiares e depois começamos atender gente de fora”. O gosto pelo ofício foi aumentando e Camila fez um curso profissionalizante de cozinheira no SENAC. “Com a profissionalização trabalhei em restaurante self service e depois apenas fazendo sobremesa no Dádiva, conceituado restaurante da capital. Também dei aula de culinária e depois eu e minha irmã fomos trabalhar no Garoto em Belo Horizonte, dando aula-show e fazendo demonstração em diversas cidades do interior. Nessa fase aperfeiçoei mais o trabalho com chocolate”. Na época ela morava em Santa Luzia e os deslocamentos eram cansativos, apesar de que ela mantinha uma casinha, aqui em Santa Tereza, apenas para dormir. Para evitar esses deslocamentos e ter mais tempo para se aperfeiçoar, resolveu trabalhar por conta própria e abriu o DoceMilla. O carro chefe são os doces e principalmente produtos de chocolate como bombons, pão de mel, ovos de Páscoa, entre outras gostosuras. “Atualmente forneço doces para bufês e atendo particulares para festas como batizados, casamentos, chá de bebê, aniversários”.

Lembrança comestível para batizados

O legal é que Camila faz docinhos personalizados com temas para as festas, nome do homenageado. Esses docinhos decorados não são exclusivamente para festas, mas para também para presentear, como Dia das Mães, Namorados, dos Pais, Natal e são também utilizados como lembrança de comemorações e para entregar na maternidade às visitas, quando nasce um bebê. Mas como a vida não é feita só de sofisticação, o simples também tem seu lugar, ela capricha também docinhos tradicionais, aqueles da época da vovó, como cajuzinho, olho de sogra, leite ninho. Para Camilla a profissão de doceira vai além de assegurar o seu sustento. “Por gostar do que faço é muito amor envolvido. Às vezes tem noite que não durmo, pois tenho de entregar as encomendas, mas a gente dribla o cansaço. Acontece também de achar que vou ter uma folguinha, o telefone toca e muda tudo. Como por exemplo, de última hora alguém liga encomendando um bolo para um aniversário e a gente não deixa de atender. Apesar disso é prazeroso criar uma receita, ver que deu certo e principalmente quando as pessoas dão o retorno, dizendo que ficou delícia”. Artesã da confeitaria Camila se considera uma artesã da confeitaria, pois faz tudo manual, especialmente a modelagem do docinho, que exige habilidade, criatividade, ter a química das misturas e referência de proporções. “A profissão é uma mistura de gostar do que faz, criatividade, prática e ciência”, comenta a doceira. A relação com os clientes, segundo ela também faz parte.  “A maioria dos fregueses, a gente não tem contato pessoal, porque as pessoas não têm tempo e por praticidade resolvem tudo pelo telefone e pela internet. Entretanto, há aqueles que fazem questão de vir pessoalmente, criando uma relação de amizade e fidelidade. Por exemplo, há clientes que acompanho desde a gravidez, quando fiz os doces para o chá de bebê e continuo nas comemorações do aniversário, acompanhando o crescimento da criança. Isso me emociona”, fala Camilla. Mas a melhor sensação, segundo ela, sentir alívio na entrega de uma encomenda difícil, porque se trata da realização do sonho de alguém. “Quando participamos de uma comemoração estamos contribuindo para a realização do sonho de alguém”, comenta ela. Além disso, Camilla fala sobre a responsabilidade da profissão. “O trabalho envolve a saúde das pessoas, daquelas que vão comer os produtos. Isso exige uma série de cuidados na preparação, com a qualidade e o manejo dos ingredientes usados. A limpeza e a higiene são fatores fundamentais. Por exemplo, não misturo a preparação da comida de sal com o doce. Cada um precisa ter seu espaço, vasilhame e geladeira separados”. Camila é exigente quanto à qualidade do ingrediente utilizado para que o bolo, o chocolate e o doce sejam perfeitos. “Existe a competição de mercado, em que quem utiliza ingredientes inferiores, pode oferecer um preço mais barato. Apesar disso, não abro mão. Prefiro a margem de lucro menor, mas não economizo na qualidade”. Sua relação com Santa Tereza é antiga, desde quando aqui era praticamente seu dormitório. Ficava durante a semana e ia para Santa Luzia nos finais de semana. Quando passou a trabalhar por conta própria fixou residência aqui.  “Meu convívio com o bairro é muito bom, com os vizinhos, muitos são clientes e, além disso, é um bairro tranquilo bom de morar”. Se você quiser encomendar ou conhecer o trabalho da Camilla é só ligar para   4132-0777 – comercial / 8739-3881 – Tim e WhatsApp / 9998-0887 – Vivo E-mail: doce.milla@yahoo.com.br    ou entrar na Página Docemilla

Anúncios