Festa do Preto Velho - Santa Tereza Tem
Logo

Festa do Preto Velho

Festa do Preto Velho: Centros de Umbanda comemoram os 130 anos do fim da escravidão

No ano em que o Brasil completa 130 anos da abolição da escravatura, decretada no dia 13 de maio de 1888, centros de Umbanda de Belo Horizonte se reunirão no dia 12 de maio, sábado da semana que vem, na Praça do Preto-Velho (Praça 13 de maio, no bairro da Graça, em Belo Horizonte), a partir das 18 horas, para celebrar a data. Além de celebrar a libertação dos escravos, a festa é uma homenagem aos Pretos-Velhos, guias espirituais da Umbanda, e uma oportunidade de alertar para as agressões que as religiões de matriz africana vêm sofrendo com a intolerância. A iniciativa é do centro de Umbanda “Casa de Caridade Pai Jacó do Oriente”, um dos mais antigos e tradicionais de Belo Horizonte, hoje com 51 anos. O evento acontece há 39 anos, estando há 5 anos sob a coordenação da Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente. É uma festa muito aguardada pela comunidade umbandista mineira, com todos os terreiros convidados, sendo esperadas mais de 400 pessoas. “Que nossos valorosos mentores espirituais, nesse momento que marca 130 anos da abolição, tragam mais 47.482 dias de liberdade real, paz, garantia de direitos e verdadeira igualdade de oportunidades para todos os brasileiros. Que o exemplo de luta e resistência de nossos ancestrais nos fortaleça contra o colonizador que ainda hoje busca se impor com uma nova forma de escravização”, afirma Ricardo de Moura, presidente da Casa de Caridade Pai Jacob do Oriente, centro de Umbanda organizador da festa. Como funcionará a festa dos Pretos-Velhos A festa do Preto-Velho na praça 13 de maio recria no espaço público o ritual que é realizado dentro dos terreiros. Os centros de Umbanda que integram a festa se reunirão na praça recebendo o público com atabaques, incensos, cantigas, orações, comidas típicas e passes, tudo distribuído gratuitamente. Haverá também barraquinhas de lanches com produtos para venda. A praça será limpa antes e depois da festa. “No momento que acabar o evento vamos varrer tudo. Não queremos deixar uma praça suja para incomodar os vizinhos no dia seguinte. A Umbanda é natureza, temos que preservar o ambiente onde estivermos”, explica Ricardo de Moura. Cada centro de Umbanda levará suas comidas típicas para distribuir para a população. A casa Pai Jacó do Oriente levará broas de fubá e feijão tropeiro, comidas que os pretos-velhos apreciam. “Queremos divulgar a expressão de nossa religiosidade e cultura, quebrando preconceitos”, diz Ricardo de Moura. Serviço: Festa dos Pretos-Velhos (5º Noite da Libertação) Dia 12 de maio, sábado da semana que vem, na praça 13 de maio, no bairro da Graça, em Belo Horizonte 18h – Apresentações culturais, como Capoeira 19h – Concentração dos Terreiros 19h30 – Solenidade de abertura 20h30 – Os terreiros presentes darão início aos trabalhos

Anúncios