Coco da Gente em Santa Tereza - Santa Tereza Tem
Logo

Coco da Gente em Santa Tereza

Coco da Gente em Santa Tereza anima o último dia da folia

O Bloco Coco da Gente foi criado em Santa Tereza, pelo mestre de capoeira, Pedro Campolina e seus amigos, a partir do batuque, que fazem uma vez por mês no largo do Bar do Orlando. E virou costume a boa roda de capoeira, acompanhada de samba, ciranda e de muito coco, ritmo típico do nordeste brasileiro. Daí foi um passo pra criação do grupo Coco da Gente e logo a transformação em bloco de rua, que sai pela segunda vez na folia de Belo Horizonte, e em Santa Tereza, é claro.

Muitas crianças com as mães, pais, vós e vôs participaram da folia, dando um show à parte, cantando e dançando ao som das canções nordestinas, típicas dos sambas e brincadeiras de roda típicas do nordeste brasileiro.

Dona Lourdinha Tóffani, Rainha do Bloco Fotos: Eliza Peixoto

A bateria e os passistas com suas saias coloridas encantaram os foliões e moradores, que se acotovelaram nas janelas para ver o Coco passar. Que o diga, a moradora mais animada do baile, Dona Lourdinha Toffani, que foi uma das primeiras a chegar à concentração, na Praça Cel. José Persilva. Do alto dos seus 86 anos, por sua presença no ano passado e este ano, ela foi elevada à categoria de Rainha do Bloco. Dona Lourdinha diz que a “a vida é uma festa e a gente tem mesmo de festejar. Carnaval é muito bom, não foi a toa que nasci em uma quarta-feira de cinzas, com os últimos blocos passando. E esse pessoal aqui é ótimo”.

O fotógrafo  e capoeirista Leandro Couri toca tarol na bateria e explica porque sai no Coco da Gente: “Quando o carnaval virou o que está sendo hoje em BH, fiquei observando um bloco que tivesse o meu perfil. Logo o Coco da Gente me atraiu por ser diferente, ter um toque do norte, do Recife e pelo meu interesse pela cultura afro brasileira. Ano passado eu vim e me diverti bastante, e agora faço parte do bloco. Ensaiei, treinei e estamos aí.

Olegário, autor de cordel e mestre de capoeira também faz parte da bateria onde toco. O Sou amigo do Pedro Campolina e achei que este era o melhor bloco pra participar, principalmente por causa da minha idade, 62. E a gente se mistura com os jovens e isso faz um bem danado”.

Pedro Campolina conta que “a bateria está maior que no ano passado. São com 70 integrantes, 40 a mais. A gente ensaiou bastante para fazer uma apresentação bem bonita”. E fizeram mesmo.
Veja mais fotos em nosso álbum no Facebook e outros vídeos no Youtube

Serviço
Cortejo do Coco da Gente
Local de concentração: Rua Conselheiro Rocha com Ten. Durval
Hora;11h
Data: 12/02 – terça de carnaval

 

 

Anúncios