MAIS DE CEM PESSOAS SE REÚNEM EM FRENTE AO MERCADO EM DEFESA DA ADE - Santa Tereza Tem
Logo

MAIS DE CEM PESSOAS SE REÚNEM EM FRENTE AO MERCADO EM DEFESA DA ADE

Noticia_37(1)Hoje, sábado, dia 31 de agosto, mais de 100 moradores de Santa Tereza se reuniram em frente ao Mercado Distrital para debater medidas a serem tomadas pela comunidade em defesa da Área de Diretrizes Especiais (ADE) que protege o bairro da verticalização e de atividades impactantes. Idosos, adultos, crianças e jovens, reunidos na rua São Gotardo, de 11 às 13 horas, falaram da principal preocupação de todos com a instalação da mudança de uso do Mercado Distrital de Santa Tereza, inaugurado em 1974. O Mercado é um espaço público e a mudança pelos conselheiros do COMPUR (Conselho Municipal de Política Urbana) permite a instalação de uma escola privada para 1500 alunos, que entrarão a cada semestre. É a entrega pela Prefeitura de uma espaço público, para uma empresa que é privada (Sistema Fiemg-MG/Senai). Dezenas de moradores, cidadãos das mais diversas profissões (aposentados, advogados, artistas, donas de casa, professores, arquitetos, jornalistas, estudantes, comerciários, operários, entre outros), falaram da incredulidade sobre o que está ocorrendo. A principal delas é a flexibilização da ADE, pois no bairro só é permitida pela lei a instalação de escola com até 400m² e a área do mercado é de 6 mil m². Ou seja, a lei está sendo infringida pela própria prefeitura, que deveria defendê-la. Outros projetos, por exemplo, mantinham as salas e boxes do Mercado, de forma a ter um espaço multi-ocupado e diversificado. Além disso, a decisão foi tomada perante moradores indignados, que estavam na reunião do COMPUR e se afirmaram como contrários à decisão. Depois dos debates, foram tomadas as seguintes decisões: 1-      A comunidade não vai aceitar quieta nenhuma alteração na ADE. A sua manutenção é essencial –  qualquer mudança abre precedente para modificações maiores. E todas as ações, visando a defesa da Lei serão coordenadas pelo movimento “Salve Santa Tereza”. O movimento nãoNoticia_37(2) tem lideranças partidárias e tem como objetivo a defesa da Área de Diretrizes Especiais. 2-      Foram criados grupos de trabalho para encaminhar as diversas ações contra a quebra da ADE. 3-      Será encaminhada à Defensoria Pública uma ação popular contra a decisão do COMPUR de continuar em aberto a possibilidade de modificação da ADE para caber uma iniciativa privada acima da capacidade aceita pela lei. 4-       Ação popular no Ministério Público contra a flexibilização da ADE . 5-      Já está marcada uma reunião de todos os moradores, no dia 04 de setembro, quarta-feira, às 19 horas na Praça Santa Tereza.   Fiemg/Senai já tomou posse do Mercado Noticia_37(3)“Há dois meses começou a movimentação de caminhões carregados com material de construção aqui no mercado e há um vigilante na porta. Não há placas e nenhuma informação sobre o que é. Só agora fiquei sabendo, que são trabalhadores da Fiemg, que já está iniciando a instalação de uma escola aqui”, diz Lúcia Helena moradora da Rua São Gotardo, em frente ao mercado. Ela continua dizendo que isto não está certo, pois vai contra a ADE e “nós moradores, os principais interessados nem ficamos sabendo disso. Quando estiver funcionando o trânsito aqui irá parar e isto sem contar a poluição provocada pelos carros e ônibus e o barulho”. O vigilante no portão ao ser questionado se ele era da prefeitura, disse que trabalha para uma empresa que presta serviços ao Senai. Enquanto o debate era realizado, entrou uma caminhonete com equipamento de construção e logo os portões foram fechados. QuandoNoticia_38(4) foi perguntado se a reunião poderia ser dentro do Mercado (tecnicamente, ainda espaço público), o segurança afirmou que teria de ser pedida autorização no Senai. Ou seja, a Fiemg/Senai já tomou posse do local, antes de ter a liberação concedida para a instalação da escola automotiva. De acordo com a decisão do COMPUR (Conselho de Política Urbana) em sua última reunião, que permitiu a mudança de uso do espaço, antes de ser o local liberado, o processo deverá passar ainda por outra audiência pública, onde serão discutidos os impactos. Portanto, a Fiemg já conta como favas contadas a liberação.   Saiba mais: Encenação na reunião do COMPUR sobre Mercado   Participe da reunião do Compur e debata o destino do Mercado   Futuro do Mercado será discutido no Compur   Compur não debateu sobre o Mercado   O que é o Santa Tereza? Histórias de imigração, ADE e boemia   Associações do bairro defendem manutenção da ADE   ABREST em busca da união em Santé   Movimento “Salve Santa Tereza” volta para preservar a ADE do bairro

Anúncios